Um encontro com a realidade


Lembro-me do dia em que, cansa do, após um exaustivo dia de trabalho, deitei-me por alguns instantes no sofá de minha casa e fiquei a imaginar como seria maravilhoso se pudesse, durante o sono, participar conscientemente de algum trabalho no plano espiritual.

Enquanto divagava em meus pensamentos, senti que alguém me tocava levemente, buscando o meu despertar. Que agradável surpresa tive ao deparar-me com aquela belíssima figura angelical que estendia sua mão e me pedia, em pensamento, para que o acompanhasse.

Recordei os vários livros espíritas nos quais as pessoas eram levadas, durante o sono, a conhecer diversas regiões do plano astral. Estava feliz por poder participar conscientemente daquela experiência.

Fomos de encontro a um grupo de pessoas muito sorridentes, que nos receberam com alegria, embora tivesse a impressão de que não percebiam a presença do Amigo Celeste. Entramos em um ônibus muito confortável que logo julguei se tratar do Aeróbus dos livros mediúnicos. O Mensageiro do Alto sentou-se a meu lado e, embora não pronuciasse uma só palavra, sentia que compreendia os meus pensamentos. Fechei os olhos e fiquei a imaginar os belíssimos lugares que iria encontrar: as colônias espirituais, as flores, os jardins...

Meu pensamento corria, quando alguém me chamou, informando-me que havíamos atingido nosso destino. Para minha surpresa, porém, chegáramos a um lugar bonito, mas não muito diferente do que via diariamente na Terra. Logo percebi se tratar de um hospital e que estávamos ali para levar aos internos daquele local, um pouquinho de amor e carinho.

Passamos o dia trabalhando e auxiliando esses irmãos sofredores do que eu chamava "colônia de recuperação" e sentia-me muito feliz por estar sendo útil naquele lugar.

Quando já nos preparávamos para retornar, o Mensageiro veio ao meu encontro e disse, mentalmente, que teria que partir. Foi quando indaguei se não iria levar-me para casa, para que retornasse, com segurança, ao meu corpo físico. Então, apiedando-se de minha ignorância, esclareceu-me docemente:

-"Meu querido irmão: não percebeste em momento algum que jamais estiveste fora de teu corpo físico? Tu te encontras acordado, em plena consciência, em uma caravana espírita num dos hospitais da Terra. Para que sonhar com os trabalhos espirituais, se aqui existem tantas pessoas necessitadas de teus serviços de amor e caridade? Muitas das criaturas que hoje encontraste nesta colônia são espíritos altamente evoluídos que estão aqui para vos ensinar, na prática, lições de resignação e humildade. Sabes, através das várias leituras, que, após o desencarne, terás que trabalhar nos umbrais, socorrendo irmãos ainda cegos das verdades do Pai. Entretanto, é fundamental, que comeces teu trabalho nas esferas terrenas onde existem inúmeras criaturas abandonadas e carentes de amor".

Autoria: 
Alexandre Ferreira