Elucidações do Irmão Karl para as mulheres


A natureza, obra do Criador, dotou a mulher de órgãos especiais reprodutores, glândulas, secreções e hormônios para ser ela o berço da vida e nutrição para os recém-nascidos, assim como a evolução do espírito lhe foi proporcionando a transformação dos instintos protetores da prole, para preservação da espécie, em sentimentos traduzidos no mais sublime amor humano que existe na Terra, o amor de mãe.

Seu metabolismo biológico que requer delicada harmonia física, a ser sustentada por necessário equilíbrio mental e emocional, é extremamente sensível aos problemas existenciais que hoje agitam os nossos dias neste mundo de expiação e provas. As mães sentem, mais que os pais, os perigos que possam ameaçar a integridade física, a alma, o caráter e o futuro dos entes queridos que lhes foram confiados. E vivem elas em constante inquietude e desassossego, dia e noite, com a mente povoada de pensamentos angustiosos, com o coração sitiado por emoções exauridoras, à espera de supostas tragédias e infortúnios que na imensa maioria das vezes jamais acontecem.

Essas tensões emocionais, prenhes de poderosas forças psíquicas, arregimentadas para enfrentar defensivamente ameaças que acabam não se realizando, transformam-se em avassaladoras descargas ofensivas que vergastam, espancam, fustigam os organismos física e psiquicamente.

Os efeitos não se fazem esperar, no campo psíquico pelas depressões, mais incidentes na mulher do que no homem, ampliados por várias angústias existenciais de outras origens, e no campo físico, que é o fio-terra, o mata-borrão, onde desembocam os desequilíbrios do espírito, pelas enfermidades de múltipla etiologia.

No caso das pessoas do sexo feminino, pela desorganização e desarmonia causadas no metabolismo hormonal, surgem problemas patológicos especificamente no aparelho reprodutor e no sistema glandular que se apresentam sob variadas configurações.

Todo este mecanismo descrito pelo Irmão Karl está amplamente aceito e confirmado pela medicina acadêmica, nos domínios da psicossomática e, vale dizer, que sob outras pressões e circunstâncias, evidentemente, afeta também o complexo psicossomático do homem.

Nesta altura, traz o Irmão Karl o seu aconselhamento para todas as mães que possam ser alcançadas por esta mensagem, além das espíritas, que já aprendem à luz da doutrina de onde viemos, quem somos, o que devemos fazer e para onde vamos, sob a vivência, em pensamentos, palavras e obras consoladoras e protetoras, do Evangelho do Amor, do amado Mestre Jesus.

Os filhos, almas livres como todos nós e tudo o mais no Universo, somos governados pela Lei de Causa e Efeito ou de Justiça ou de Ação e Reação (a semeadura é livre e a colheita obrigatória), Lei sábia, justa, amorosa, misericordiosa, até nos males aparentes que visam reconduzir-nos ao bem. Nada ocorre sem o conhecimento do Pai da Vida, para quem tudo é presente. A encarnação é a oportunidade, repetida pela amor divino, de aprendizado sucessivo, que o espírito deve realizar imerso no fluxo da vida, frente a todas as situações; a experiência e o erro são instrumentos imprescindíveis na escalada evolutiva.

Os filhos precisam exercitar o seu livre-arbítrio, precisam viver na corrente dos eventos para crescerem e se realizarem. Mães e pais não podem viver a vida dos filhos, pois têm também suas próprias vidas para cumprir; eles têm seus guias espirituais. O espírito é imortal e sempre há oportunidades de correção, de retorno e de revivência familiar.

Mães e pais, eduquem seus filhos pelo exemplo, pelo alerta e pelo aconselhamento maior, ajudem quando necessário mas entreguem a Deus o futuro dos seus entes amados. Não nos disse o amado Mestre Jesus, emissário do Pai, para todos os Seus filhos, que a Ele entregássemos todas as cargas, todas as angústias que não estivessem no nosso poder de resolver, que Ele nos aliviaria? Socorrei-vos no Cristo pela prece fervorosa!

Mães, acalmai as vossas mentes, sossegai os vossos corações, não demonstreis falta de fé na misericórdia divina ao se deixarem corroer nas entranhas pela dúvida e pela incerteza quanto ao futuro imediato, próximo ou remoto dos entes amados.

Continuem derramando sobre vossos filhos torrentes de amor, sublime amor materno, mas de amor sem temor, confiantes no Amor do Pai por todas as criaturas. Plenifiquem-se sempre de bons pensamentos, de emoções sadias em relação a eles, de alegria de viver, para que os vossos filhos acolham no íntimo de suas almas essas vibrações construtivas que os fortalecerão no caminho do bem, pois só assim, vós, mães queridas, tereis igualmente o poder de, pela mudança radical no teor dos vossos pensamentos, e emoções, converter aquele mecanismo mental-psíquico num canal de forças positivas que trabalharão doravante pela saúde de vossos corpos e pela paz de vossos espíritos.

Autoria: 
Raphael Rios