Os abusos do sexo e as suas consequências


Lendo a revista da Folha, parte integrante do jornal "Folha de São Paulo", de 6 de junho deste ano, deparamo-nos com um artigo de oito páginas abordando o tema do relacionamento sexual entre jovens, incluindo uma enquete realizada com aproximadamente 1000 pessoas em que a pergunta feita era a seguinte: "Depois de quantos encontros você acha que acontece uma relação sexual?", sendo que o resultado indicava que 56% dos pesquisados responderam "logo no primeiro" e 18% "a partir do segundo", o que não somente nos surpreendeu como nos proporcionou uma reflexão sobre o comportamento sexual dos jovens hoje em dia.

Pudemos observar tanto pelo resultado dessa pesquisa como por diversos outros depoimentos prestados a revistas, jornais, programas de rádio e televisão e também nos diversos contatos que temos pessoalmente com jovens, que é uma regra geral para a maioria deles considerar o sexo como fator primordial na união entre casais, priorizando as sensações e prazeres proporcionados pelo mesmo em detrimento dos demais fatores tão ou mais importantes para um relacionamento harmonioso e feliz entre duas pessoas de sexos opostos.

Cumpre nos libertarmos pouco a pouco desses vínculos que nos prendem às grandes tentações dos prazeres materiais, aos vícios e defeitos a eles inerentes e procurarmos gradativamente promover nosso depuramento moral, condição essencial para conquistarmos uma resignação maior frente as dificuldades e anseios do presente, face às eventuais dores e sofrimentos de agora e que hão, assim, de propiciar, num futuro próximo, um relacionamento a dois mais tranquilo, mais estável, mais completo, mais duradouro e mais feliz.

Portanto, um alerta aos jovens de hoje, futuros maridos, esposas, companheiros ou companheiras de amanhã: não se deixem levar apenas pelos prazeres da matéria, particularmente do sexo desenfreado, a fim de que não se deparem com tantas frustrações, desequilíbrios e desajustes provenientes desse modo de pensar e de agir. Cultivem, desde já, uma postura mais tranquila, mais saudável, mais espiritualizada, com vistas a um próximo e futuro relacionamento amoroso. O sexo, sem dúvida é importante, mas não é tudo. Pensem nisso.

Autoria: 
Job Gil Ferreira