Por que eliminar a carne de nossa alimentação?


Para falarmos sobre esse interessante, mas polêmico assunto, procuramos os esclarecimentos de nosso irmão Jardim, tarefeiro desta Casa de Paz e Amor que nos explicou, com clareza, o porquê de evitarmos a carne em nossa alimentação.

Além de todos os prejuízos produzidos pela carne em nosso corpo físico, ela também provoca sérias consequências em nosso corpo espiritual.

Os fluidos animalescos instintivos exalados pela carne no processo digestivo penetram na aura do ser humano que a ingere, prejudicando sensivelmente a sua ligação com o plano espiritual, pois esses fluidos negativos contribuem para estimular o seu instinto animal, afastando-o do doce perfume da mansidão e fraternidade.

Os animais, assim como nós, estão numa escala evolutiva e, em seus estágios, já começam a externar, por exemplo, sentimentos de carinho, amizade, fidelidade, mas também medo, raiva e ódio. Quando os matamos e ignoramos todos os seus sentimentos de amor, interrompemos seus processos evolutivos e deixamos impregnados em seus corpos físicos todos os fluidos negativos de rancor e ódio que, como dissemos acima, no processo digestivo, aderem à aura humana.

As aves possuem essas mesmas fases evolutivas em muito menor escala e os peixes, vivendo em cardumes, não conseguiram de uma maneira geral, usufruir de sua individualidade e, consequentemente, vivem como autômatos comandados juntamente pelos instintos de grupo ainda muito pouco desenvolvidos.

Assim, há grande distância entre mamíferos, aves e peixes em se tratando de fluidos animalescos. Por isto a alimentação a base de peixe é mais leve no tocante ao processo digestivo e no ponto de vista espiritual.

Quanto menos ingestão de carne fizermos, mais estaremos nos desintoxicando fisicamente e por outro lado aprimorando gradativamente a nossa ligação com o plano espiritual.

Como sugestão para aqueles que têm dificuldade para deixar a carne repentinamente, aconselhamos que deixem em primeiro lugar a carne vermelha, com o tempo as aves e no futuro o peixe.

Para melhor ilustrarmos o porquê de uma alimentação sem carne, transcrevemos, a seguir, trechos do livro "Nutrição Orientada" do professor Durval Stockler, baseado em comprovações científicas.

"Quando o animal é morto, existem nele muitas toxinas em processo de expulsão do organismo, principalmente pela urina. Essas toxinas permanecem na carne e são ingeridas pelo homem. É evidente que isto não pode ser saudável. Cada quilo de carne bovina contém dois gramas de ácido úrico, o que é uma dose bastante elevada. Quando a carne é cozida, os resíduos se apresentam em forma de caldo que, analisado, se assemelha à urina.

Cada bife de 100 gramas contém mais de um bilhão de germes, e se essa carne não for devidamente esterilizada pelo calor, grandes quantidades de micróbios ativos serão ingeridos. Nos bifes mal passados, nos churrascos sangrentos, é certo que milhões de bactérias vivas entram no organismo dos comedores de carne.

(...) A carne prepara em nós, por suas toxinas, um ambiente propício a toda sorte de enfermidade. Entre os que comem carne frequentemente, encontra-se maior número de pessoas com varizes, hemorróidas e arteriosclerose que entre os vegetarianos ou aqueles que comem menos carne e muita verdura. E o mesmo se pode dizer das doenças do fígado, dos rins, do coração e dos problemas da circulação.

Não é novidade para ninguém que a carne contribui em porcentagem elevadíssima para os enfartes do miocárdio, para os derrames, as tromboses, os distúrbios da pressão e de todos os ataques cardíacos".

Autoria: 
Suzana Aparecida da Costa Ferreira