É mais fácil viver quando se tem um amigo


Em 1936, o jovem reverendo inglês Chad Varah, recém formado pela Igreja Anglicana, fora designado para proceder ao ofício fúnebre de uma jovem de 14 anos que se suicidara porque, ao perceber os primeiros sinais da menstruação, apavorada, achara que havia contraído uma moléstia venérea e dera cabo à própria vida. Após fazer a encomendação do corpo, Chad Varah voltou para casa e escreveu para um pequeno jornal de Londres dizendo-se disponível, em sua própria casa, para "ouvir seriamente pessoas falarem de assuntos sérios". E, a partir daquele momento, o Rev. Varah não mais descansou; já no dia seguinte à publicação de seu artigo, recebia a visita de uma pessoa do continente, isto é, alguém que atravessara o Canal da Mancha somente para abrir-se com o homem que se propunha a ouvir.

Assim, no início da década de 50 foi fundado "Os Samaritanos" que contava com pessoas disponíveis, dispostas a ouvir; pessoas que não tem conselhos para dar, mas que tem a si para dar-se. Pessoas que não estão preocupadas com um problema de seu próximo, mas estão preocupadas com o próximo integralmente, como pessoa e não como um número a mais dentre os numerosos problemas da humanidade.

O SURGIMENTO DO CVV

Nos meados dos anos sessenta,um grupo de jovens universitários se empenhou num trabalho de auxílio ao próximo. Contando com a ajuda de pessoas de nível cultural, social e religioso diversificados, partiram para visitação a casas de pessoas carentes. O trabalho se expandiu e o grupo fundou a instituição CVV - Centro de Valorização da Vida". Em 1970, os fundadores do Samaritano dos E.U.A. vieram contribuir para a legalização e divulgação do trabalho.

O CVV conta hoje com 48 sedes, distribuídas por todo o Brasil, e atende, anualemente, cerca de 410 mil ligações.

O QUE É O CVV

O CVV é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, sem vínculos políticos, filosóficos ou religiosos e tem como principal finalidade a prevenção ao suícídio. Coloca-se voluntária e gratuitamente a disposição daqueles que se sentem angustiados, sós, ansiosos por um desabafo. O CVV atende durante as 24 horas do dia, ininterruptamente, por telefone, carta ou pessoalmente com voluntários que estão sempre dispostos a ouvir seus semelhantes, sem questionamentos e opiniões pessoais, pois discrição, sigilo e respeito constituem partes fundamentais deste trabalho.

PARA SER UM VOLUNTÁRIO

O CVV realiza constantemente, cursos para preparação de novos voluntários. Para maiores informações, ligue para os telefones do CVV em São Paulo - Vila Mariana: 575-4111; Jabaquara: 577-4111; Abolição: 232-4111; Barra Funda: 825-4111; Pinheiros: 883-4111; Vila Carrão: 217-4111.

DOAÇÃO DE AMIZADE NO "PAZ E AMOR"

No último informativo abordamos o trabalho de entrevista e orientação, realizado todas as terças-feiras em nossa Casa.

Em conversa que tivemos com Cecília, uma das entrevistadoras do Núcleo, pudemos perceber a similaridade que existe entre este trabalho e o que é desenvolvido no CVV.

Diferentemente do que se imagina, a finalidade das entrevistas vai muito além de um simples encaminhamento para os tratamentos de passe. São momentos em que as pessoas que chegam à Casa com algum tipo de dificuldade, encontram alguém disposto a ouvi-las, sem pressa, sem críticas e sem a preocupação de impor uma verdade religiosa.

Para Cecília, é extremamente gratificante verificar que, a partir de uma simples conversa, muitas pessoas se sentem mais confiantes e, consequentemente, com forças para superarem seus problemas, tornando-se, muitas vezes, trabalhadores da Casa e da seara de nosso amado Mestre Jesus.

Autoria: 
Jaciara dos S. Lemos e Maria Aparecida N. Silva