O que é preciso para ser feliz


Muito se tem escrito e falado sobre a felicidade, a humanidade a tem buscado incessantemente e, ao que parece, muito poucos a tem encontrado.

Na Grécia antiga, os filósofos viam a felicidade como um estado de espírito associado a atividades em concordância com a virtude. Assinalavam as seguintes diferenças entre felicidade e prazer: mental e não corporal, duradoura e não transitória, racional e não emocional.

Atualmente, para algumas correntes de pensamento, a felicidade não é um fim, a ser alcançado de per si, mas é derivada de atividades virtuosas. É decorrência, fruto, consequência das crescentes virtudes da alma na prática do bem.

No livro dos Espíritos, Kardec formula questões ao Alto que responde: "Não há felicidade completa neste mundo de expiação e provas. Do homem depende ser tão feliz quanto possível, isto é, assegurar-se uma felicidade relativa praticando a lei de Deus, conduta que se resume no seguinte: Para a vida material a felicidade é a posse do necessário; para a vida moral a felicidade é a sã consciência e a fé no futuro. Para ser feliz, o sábio olha para baixo e nunca para cima, a não ser para elevar sua alma ao infinito. Mais rico é aquele que menos necessidade tem".

Miramez nos diz que "a felicidade é pureza de consciência. É Deus e Jesus iluminando o centro de nossa alma".

A Doutrina nos orienta que busquemos incessantemente a paz de espírito, que está ao alcance de todos, pela prática do bem sem olhar a quem, pela consciência limpa, pela adesão aos deveres e às responsabilidades que a vida nos impõe.

Conquistemos a paz de espírito que é a maior riqueza que o homem pode alcançar hoje, enquanto a humanidade não se transforme como um todo, quando viver-se-á no mundo da regeneração e, aí sim, gozaremos de coletiva felicidade.

Em síntese, o roteiro para alcançarmos felicidade duradoura é o da prática incessante do bem que nos trará uma consciência cada vez mais sã, que nos plenificará, por sua vez, de grande paz interior, a qual nos proporcionará um estado de espírito superior que podemos classificar de felicidade duradoura, radiosa, celestial.

Autoria: 
Raphael Rios